A Justiça no Brasil é uma piada – Para alguns!

21/01/2021

Um dos temas de Esmeralda e demais livros meus é política. Em CEO - O VILÃO ela é tema central, onde jogo com a corrupção, a cara de pau, o deboche e a justiça brasileira. Minha opinião como autora, apenas isso.

Dividi em dois partidos, esquerda e direita. Deixo claro que tem gente boa - e muito boa - em ambos os lados, mas que no geral, todo mundo é a mesma coisa.

Em todos os livros que escrevo sobre o tema, expresso que a única coisa que importa - ainda - é sua liberdade. Em Kinshi na Karada ou Tudo por Ela, quando a liberdade se foi, acabou. A liberdade de escolha é fundamental. Ao debater o assunto do STF sobre o "direito" de as empresas demitirem por justa causa quem se recusar a tomar a vacina, percebi como o direito de decidir sobre minha saúde - como individuo - é um dos caminhos para acabar com a liberdade individual.

E - Pasmem - os apoiadores de cessar direitos estão em ambos os lados - direita e esquerda. Como eu disse lá em cima, são todos a mesma coisa.

Sou assumidamente de direita, mas hoje participei de uma discussão num grupo local de direita sobre tal assunto. Vi pessoas que dizem ser liberais falarem que é direito deles colocar para a rua, por qualquer motivo, com justa causa, o funcionário que não fizer o que eles quiserem, e caso a pessoa não concordar que lute na justiça - sim, ao tom de deboche.

O que isso significa?

Que a justiça está aí para ser debochada. Na ideia de alguns empresários, meu empregado é meu escravo, fará o que eu mandar, e se eu não concordar com uma escolha de sua vida pessoal - sua condição sexual, seu gênero, seu peso, sua religião, etc... - eu mando para a rua e dane-se, o funcionário que vá para a justiça - porque sabem que o funcionário ficará sem seguro desemprego, sem direitos, sem FGTS, e como a justiça demora, talvez sem fonte de renda e terá que se submeter a sua vontade.

ASSÉDIO MORAL É CRIME.

E é assim que começa. Escondem o crime, e logo não teremos mais pessoas saindo do armário por medo da chefia preconceituosa na empresa, teremos gente sofrendo de distúrbios alimentares por conta do seu peso, teremos gente sendo despedida sem direitos porque é evangélico ou espírita...

A Empresa tem direito de não querer um gay? Um gordo? Um espírita? Tem. Mas, então que faça a demissão de forma correta.

Se você vai tomar a vacina ou não é sua liberdade de escolha. Ninguém pode ser coagido, por qualquer motivo, a fazer algo que não quer. E deixo claro aqui que minha mãe, que é idosa IRÁ TOMAR.

A questão aqui não é a vacina. É a liberdade.

E empresários, mesmo que o STF passe essa ordem ridícula, não esqueça que existe algo chamado bom senso, e seu funcionário é um ser humano que merece ter suas escolhas respeitadas, conforme o art. 12 da Lei dos Direitos Humanos - que é universal:

Artigo 12
Ninguém será sujeito à interferência na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataque à sua honra e reputação. Todo ser humano tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.